LUTAS, FRACASSOS E APRENDIZADOS: POR QUE AINDA TEMOS VERGONHA DE FALAR?

Se compartilhar for o melhor “remédio”…

Será que é mesmo tão difícil de falar sobre nossas lutas, fracassos e aprendizados?

Nos últimos anos eu tenho cultivado o hábito de entre os dias 30 e 31 escrever um “textão” no Facebook, em geral relatando a minha experiência daquele ano e minhas expectativas para o ano seguinte.

E também há pouco mais de 4 anos atrás deixei de lado um blog amador que tinha, me voltei para o Facebook comecei a expor minhas ideias e opiniões a respeito de tudo que acontecia ao meu redor.

Esse ano resolvi fazer de uma forma diferente, ainda que esse blog tenha como objetivo, ser uma espécie de vitrine profissional, em que falo sobre marketing digital e vendas, acredito que seja importante expor não apenas um “lado bom” da vida profissional, mas também um lado “real”.

E o que é o lado “real” da vida? Bem você sabe… É aquele lado em que as coisas não dão certo na primeira tentativa e talvez nem na centésima.

“O lado real da vida é aquele sem glamour, em que lidamos com as frustrações nossa de cada dia.” – Samuel Ribeiro

No livro Gerenciando vendedores Pit Bull, Luis Paulo Luppa, fala que antigamente falava se em matar um leão por dia para sobreviver e hoje em dia é preciso encontrar um leão para depois você poder matar o bichano.

E como essa frase é atual não?

Uma lembrança do Facebook e uma reflexão sobre o ano de 2016

O dia em que comecei a escrever esse texto é dia 30 de Dezembro de 2016 e o Facebook me trouxe a seguinte lembrança sobre um post que escrevi há dois anos atrás.

E isso me fez refletir sobre esse ano e as minhas perspectivas para o ano que se inicia. Claro que isso é um pouco ousado, me expor dessa maneira, mas como eu disse antes para você, chega de mostrar o lado perfeito né?

Não temos a obrigação de atingir todas as metas estipulamos para nós mesmos, mas o compromisso de chegar o mais próximo possível no caso de não alcançá-las, e se caso conseguirmos, alcançar máximo delas que formos capazes.

O problema começa quando nos sentimos mal por não termos realizados alguns objetivos ou quando percebemos que não iremos alcançá-lo, ou ainda quando percebemos que as coisas não estão seguindo o caminho que queríamos.

As pessoas gostam mostrar o que acertaram, e as pessoas que  aquilo que erraram? Isso transforma os que não conseguiram alcançar seus objetivos (ainda) em fracassados?

O mundo clama por mais transparência, mas não só isso, por mais pessoas “reais”, que acertam e que erram também, eu poderia fazer um texto só sobre isso, mas sabe aquela história de que uma imagem vale mais do que mil palavras?

Então vou resumir as minhas com essa propaganda da Skol para esse final de ano.

Preciso dizer algo mais?

Entre lutas, fracassos e aprendizados

Aprendendo com os erros

Esse ano eu passei por muitas coisas no lado profissional, apesar de já meio que saber que seria uma ano de lutas, fracassos e aprendizados, no fundo eu acreditava que as coisas poderiam dar certo “de primeira”. #SQN

Por onde começar? Bem, talvez por esse blog, como mencionei cheguei a ter um blog amador, eu o mantive entre 2008 e 2012, já não tinha mais o hábito de escrever e nem tinha todo o conhecimento das técnicas necessárias para fazê-lo ter audiência como tive com esse blog.

E o blog já foi a minha primeira frustração, eu tinha o objetivo de escrever dois blog posts por semana, quando eu estava quase pegando um ritmo me deixei abater por uma crítica de uma pessoa da qual eu tenho admiração.

Talvez essa pessoa até leia esse texto e saiba sobre o que estou falando, mas esse também foi um aprendizado, saber lidar com as críticas seja ela de quem for.

O primeiro naufrágio a gente nunca esquece?

Outro fracasso foi com um dos meus primeiros clientes, tracei um plano simples de ser executado, mas que infelizmente apesar da minha insistência e da aparente aceitação do cliente, o plano não era colocado em prática.

Resultado? Me vi obrigado a encerrar o contrato antes do previsto, a lição que aprendi foi a de que o resultado acontece quando há comprometimento entre ambas as partes.

Do contrário o negócio se transforma naquele em um cabo de força até que uma das partes desiste. Entendi também que é bom se antecipar a possível desistência do cliente, fica mais fácil de reconhecer e aceitar onde houveram as falhas.

Se eu demoro muito para fazer isso, as coisas poderiam tomar outro rumo.

Clientes espertinhos…

Cada ser humano é único e clientes também são seres humanos ou como diria o personagem do Marco Luque, “serumaninhos”.

Um amigo me indicou a uma empresa que ele trabalhava, não vou citar o seguimento para não comprometer ninguém.

Fiz todo o dever de casa sobre a empresa, batemos um papo amigável, passei uma proposta que foi educadamente negada, até então tudo bem, se não fosse pelo lado de que meu amigo mencionou depois.

Segundo ele o empresário disse: “Agora que já sabemos o que precisamos, vamos fazer nós mesmo?”

Meu amigo retrucou perguntando por onde iriam começar e sabe qual foi a ideia dele? Conversar comigo novamente e mais outras três das maiores agências digitais e copiar as ideias delas.

Certo? Errado? Sinceramente eu não sei. Essa parece ser uma prática comum aqui no Brasil, mas vou deixar você tirar as suas próprias conclusões…

Consultoria em vendas online

Compromissos e reuniões

Se teve uma coisa que fiz e muito foi agendar reuniões, fui contatado muitas vezes pelo Facebook e LinkedIn para reuniões por Skype, por empresários interessados em fazer negócios.

Todos reais, de empresas reais, mas todos com algo em comum… Adivinhe? Quase todos remarcaram as reuniões até que eu desistisse.

Vou contar um caso que irá resumir todos os outros.

Uma pessoa me contata pelo LinkedIn e me questiona sobre a minha disponibilidade eu sugiro dois dias após aquele, já que no momento estou ocupado, só para a pessoa discordar e sugerir um terceiro dia.

Conhece isso? Chama-se jogo de poder, se você cede a sugestão seria como se você estivesse seguindo a liderança da outra pessoa, mas sinceramente, acho isso pura bobagem.

Se eu quero falar com a pessoa naquele momento e perguntei a ela sobre a disponibilidade e ela diz que não tem, é educado eu perguntar outro dia e no mínimo fazer um esforço em concordar com a agenda dela.

Outra coisa é falta de palavra ou compromisso.

Trabalho com vendas desde os 17 anos, sei bem como é isso, mas como vendedor experiente digo que se você faz isso também é uma tremenda falta de respeito com o profissional.

Significa que você não respeita o tempo que ele disponibilizou para você e que o seu tempo é mais importante do que o dele.

O pior é que isso não se limita a possíveis clientes, pessoas que me buscaram para fazer parcerias agiram da mesma forma, algumas cheguei a encontrar em eventos e fingiram nem me reconhecer, por que? Eu realmente não sei.

Aqui vale a indicação de um artigo muito show do Marc Tawil, um dos Top Voices 2016 do LinkedIn Pulse Brasil, o artigo fala sobre pontualidade e o que ela diz sobre você.

Cadê o blog que estava aqui? Meu blog sumiu!

Cadê o blog que estava aqui?

Eu assinei uma ferramenta de email marketing o Lead Lovers no final de Novembro e ao configurá-la cometi um erro que tirou o meu blog do ar por 20 dias!

Tentei resolver sozinho, pedi ajuda para diversos amigos, fui no fórum webmaster do Google, falei com a hospedagem que eu contratei e nada parecia resolver.

Até que eu relembrei as coisas que tinha feito e procurei o suporte do Lead Lovers, e a atendente que além de muito atenciosa e paciente me ajudou a encontrar o problema que EU tinha criado!

Uma pequena correção e pronto, meu blog estava de volta ao ar antes de virar o ano!

Lição que aprendi? Tomar cuidado e prestar atenção ao fazer mudanças que envolvam o blog!

Expectativas para 2017

Como empreendedor e batalhador como todo brasileiro minhas expectativas são as melhores, ainda sabendo que o cenário não seja tão favorável como pude vivenciar esse ano.

Sinceramente? Os anos de 2014 e 2015, para mim também não foram mil maravilhas, e para ser sincero me parece que estive em uma queda constante brigando para me levantar a todo instante.

E sabe o que acontece quando você se levanta a cada queda? Você cresce, aprende e evolui (eu sei que pareceu motivacional, mas não foi a minha intenção, eu juro!).

As expectativas para 2017 são de conseguir colocar em prática tudo que aprendi no ano de 2016, e ajudar meus clientes terem resultados em seus negócios.

Quero entregar um conteúdo novo toda semana no blog, em texto, áudio e vídeo, não faço ideia de quais serão as dificuldades que irei enfrentar, e talvez algumas delas eu não esteja preparado, afinal a vida tem dessas coisas não é mesmo?

O que importa é que vou seguir, e compartilhar o que sei e o que aprender aqui, espero que isso te ajude, espero que isso te transforme e espero que você compartilhe comigo as suas lutas, fracassos e aprendizados.

Estamos juntos?

E quais foram as lutas, fracassos e aprendizados de 2016?